domingo, 18 de julho de 2010

A VOLTA

O que pode mais nos angustiar nos dias de hoje senão essa desastrada possibilidade de vivermos por múltiplas escolhas? Sim, esse livre-arbritrio que nos toma tão de repende em meio ao tédio e a melancolia? Como Édipo, estamos sempre lutando contra nossa própria origem. Há sempre um desagrado que nos faz rebelar contra nossa própria cidade. Agora, digo, por hora, cansei. Cansei desse papel de filho pródigo e que venha essa cidade, cheia de imperfeições. Não pertenço a ela, pertenço a um não lugar, sou do mundo, estou aqui de passagem. E decidi aceitar o lugar em que vivo.
Londres, Paris, Milão, São Paulo, Caxias do Sul... Não importa o lugar, não importa o tempo, as caracterísicas da cidades, suas imperfeições. Estamos de passagem. Onde quer que vivamos, provaremos alegrias, tristezas, revoltas. As cidades são como nós, imperfeitas, cheia de defeitos, qualidades. Acho importante amarmos esses defeitos como amamos a nós mesmos. Sim, dessa forma cultivaremos a tolerância, a solidariedade, nos inflaremos contra aqueles que querem arrancar árvores, não estaremos indiferentes aqueles que sofrem e vagam pelas ruas, receberemos abraços, poderemos respirar o ar puro que vem das árvores.
Enfim, também poderemos beijar quem amamos, contemplar a paisagem que nos emociona. É bom retornar, é bom estar em casa, mas que casa se o mundo é insuficiente para acalmar essa vontade louca que nos toma de repente de colocarmos os pés na estrada e novamente experimentar novos lugares. Talvez a melhor idéia seja a de aceitar mesmo que estamos aqui de passagem.

2 comentários:

Jessica disse...

Bienvenido de volta meu amigo!
Conforme conversamos, não somos de um lugar, nem pertencemos as coisas, nem as pessoas, mas pelo que sentimos por tudo isso...somos do que sentimos. Somos feito pelo que sentimos.

"Onde você estiver, é sempre início. É por isso que a vida é tão bela, tão jovem, tão virgem."
Osho

Adorei a musiquinha. Continue firmimente com o blog.

beijos da coca.

Pagulina disse...

Amigo querido,

Acho que a Jessica disse tudo...somos feitos pelo que sentimos...É estamos aqui de passagem e nada mais, por isso temos que vivê-la intensamente.
Marisa Monte nessa hora caiu super bem...
Besitos