quarta-feira, 14 de maio de 2008

Fragmentos do dia - Adélia Prado


Bem-aventurado o que pressentiu
quando a manhã começou:
não vai ser diferente da noite.
Prolongados permanecerão o corpo sem pouso,
o pensamento dividido entre deitar-se primeiro
à esquerda ou à direita
e mesmo assim anunciou paciente ao meio-dia:
algumas horas e já anoitece, o mormaço abranda,
um vento bom entra nessa janela.

2 comentários:

Pobres&Nojentas disse...

Que lindo, Sá! Me inspirou para uma crônica no blog da Pobres!

Mimi

Jessica disse...

Adorei...
Senti conforto.
Foi muito ler isso no fim de um dia cansativo, mas não menos sorridente né?

Adorei a imagem também.
=D
Abração!