quinta-feira, 22 de maio de 2008

A cidade evadida respira

Grandes cidades parecem pequenos oásis em manhãs de feriado e domingo. Isso porque parte da população adormece ou se retira, sem estar condicionada ao relógio. O sol se espalha, os pássaros parecem cantar mais alto, as ruas estão semi-desertas, os carros desaparecem. Nunca gostei de carros. Não sei dirigir e não tenho a mínima pretensão de aprender. Prefiro andar a pé, sorver o ar, contemplar paisagens. No entanto, isso tem sido quase impossível na média-grande Caxias do Sul dos últimos tempos. A não ser nas manhãs de domingo e nos feriados, como este de hoje. Como um flanner, aquele ser que percorre as cidades em busca dos detalhes e das experiências, pela manhã desta quinta-feira foi possível sentir a cidade, amá-la, sem o ar poluído da semana ou os malditos carros, barulhentos, poluentes, com seus donos irados, ansiosos, quase indiferentes a paisagem da cidade, concentrados em seus voltantes. Sim porque dentro de um carro a visão do mundo é parcial, egoísta e difusa. Você não consegue disfrutar do céu na sua totalidade, só enxerga o que está a frente do seu nariz e a realidade acaba desfocada pelo retrovisor. Benditos feriados , benditas manhãs de domingo. A cidade volta a ser criança, se humaniza. Chegará o dia que os homens romperão com seus relógios, abandonarão seus carros e despidos da vaidade que os torna indiferentes se entregarão de corpo às cidades.

2 comentários:

Jessica disse...

Adorei!!!!!
E hoje o dia está lindo, para sair a pé!
=D

beijão!

Pobres&Nojentas disse...

Sá, fiquei com saudades de casa! E quando vens me visitar? Mimi